Bem Vindo. O Mundo é Seu.


Professor Jarbas C. S. Junior

A Reprodução Humana



Nota. 1. testículos; 2. epidídimos; 3. canais deferentes; 4. próstata; 5. vesícula seminal; 6. bexiga; 7uretra; 8. ovário; 9. trompas de falópio; 10. útero; 11. colo utritno.
Características:

· Sexuada
· Fecundação interna por copulação
· Dimorfismo sexual
· Heterogamia morfológica



Sistema Reprodutor Masculino


Este sistema consiste em: testículos, epidídimos, canais deferentes, vesículas seminais, próstata, uretra e pênis.

Testículos

São dois corpos ovóides com aproximadamente 5 centímetros de comprimento, alojados dentro da bolsa escrotal. No interior de cada testículo existem milhares de tubos enovelados denominados tubos seminíferos, cujas paredes estão revestidas por camadas de células responsáveis pela produção dos espermatozóides.

Os testículos são também responsáveis pela elaboração do hormônio masculino, a testosterona, que ocorre em células especiais denominadas células de Sertoli.


Epidídimos

São dois tubos torcidos localizados sobre os testículos, servindo como depósito temporário dos espermatozóides e sendo o local, onde os espermatozóides adquirem mobilidade.


Dúctos deferentes

São dois canais originados dos epidídimos, que sobem para a cavidade abdominal desembocando na uretra. Têm aproximadamente 50 centímetros de comprimento e tem como finalidade a condução dos espermatozóides.


Vesículas seminais

São dois órgãos localizados nas extremidades dos canais deferentes, responsáveis pela fabricação de um líquido denso e leitoso (alcalino), o líquido seminal, destinado a facilitar o transporte dos espermatozóides e protege-los contra a acidez da urina.


Próstata

É um órgão constituída pelo conjunto de 30 a 50 pequenas glândulas tubo alveolares, que está localizada abaixo da bexiga, fazendo a conexão da uretra com o canal deferente. A próstata produz o líquido prostático, que juntamente com o líquido seminal constituem o sêmen ou esperma.


Líquido seminal + líquido prostático + espermatozóides = sêmen ou esperma


Uretra

É um conduto músculo epitelial que serve aos sistemas urinário e reprodutor. Durante o ato sexual, desenvolve um intenso peristaltismo, que serve para projetar o esperma para fora.


Pênis

É o órgão copulador do homem. Contém grande parte da uretra, o corpo esponjoso e os corpos cavernosos. A uretra é envolvida pelo corpo esponjoso e se abre para o exterior através de um orifício na glande (parte mais volumosa e anterior do pênis), chamada meato uretral.




Sistema Reprodutor Feminino


Este sistema consiste em: ovários, trompas de Falópios ou uterinas, útero, vagina e vulva.


Ovários

Sãos as gônadas femininas, isto é, as glândulas sexuais femininas. Apresentam o formato ovóides e medem aproximadamente 3 centímetros de comprimento, 2 centímetros e largura e 1 centímetro de espessura. Estão situadas no abdome a direita e esquerda do útero.

Os ovários exercem duas funções fundamentais:

produção de óvulos

produção de hormônios femininos (estrógeno e progesterona).


Na superfície dos ovários encontramos espécies de vesículas chamadas de folículos de Graff, cuja maturação completa e ruptura libera o óvulo (ovócito II) a cada 28 dias.


Trompas de Falópio

São dois canais que medem aproximadamente 12 centímetros de comprimento, servindo de ponte entre o útero e os ovários. As trompas desenvolvem movimentos peristálticos, e seu epitélio ciliado de revestimento interno executa um movimento ciliar ondulatório impelindo o óvulo no sentido do útero. A trompa é o local onde se dá fecundação.


Útero

É um órgão muscular e oco, com o formato de uma pêra, com grande poder de distensão, onde se desenvolve o embrião, sendo o órgão da gestação e do parto. O útero mede a partir do colo, cerca de 8 centímetro de comprimento, 5 centímetros de largura, com um peso médio de 50 gramas.


O útero é constituído por três camadas de membranas:

Perimétrio (camada externa) Miométrio (camada intermediária, constituída por células musculares lisas que, com suas contrações são responsáveis pela expulsão do feto).

Endométrio (camada interna, sendo uma mucosa ricamente vascularizada, onde há um grande fluxo sangüíneo, sendo o local onde ocorre a implantação do zigoto; está camada se divide em basal e funcional, que se descama na menstruação).


Vagina

É o órgão de copulação da mulher, sendo um canal muscular que se estende até o útero, tendo um comprimento médio de 7 a 10 centímetros. Suas paredes são franjadas e com glândulas secretoras de muco.

Vulva


É a genitália externa feminina, ou seja, o conjunto das estruturas externas que protegem a vagina e o orifício urinário.

A vulva é constituída pelos grandes e pequenos lábios, hímen e clitóris.

Os grandes e pequenos lábios são formações cutâneas, formadas por tecido adiposo.

O clitóris é uma projeção musculosa ricamente vascularizada e erétil, responsável em parte pelo orgasmo feminino.


a. grandes lábios; b. pequenos lábios; c e d. abertura da vagina; e. clitóris; f. abertura da uretra; g. ânus
Nota: A abertura da uretra que encontra-se localizada entre o clitóris e a vagina, não tem relação com os órgãos reprodutores.

O mecanismo do ciclo menstrual


Durante toda a infância da menina, o aparelho genital não manifesta nenhuma de suas funções específicas. Só na adolescência é que irão surgir alterações cíclicas do aparelho genital, que provocaram reflexos tanto nas funções físicas como no comportamento psíquico.

O ciclo menstrual mostra uma série de alterações sincronizadas entre o ovário e o útero.

Com a primeira menstruação, denominada menarca, em condições normais, o ciclo menstrual se repetirá em períodos de aproximadamente 4 semanas.

O ritmo da menstruação pode variar numa mesma mulher, por alterações climáticas, fatores emocionais ou doenças.

Com a chegada da puberdade, que marca o início da maturidade sexual, desenvolvem-se uma série de alterações físicas, fisiológicas e emocionais, como o crescimento (estatura), aumento dos seios, alargamento das ancas, distribuição de pêlos, mudança no timbre de voz e etc.


Durante a vida fetal, os ovários contém cerca de 200.000 folículos primordiais ou germinativos, dos quais aproximadamente 400 irão amadurecer, constituindo o óvulo.


O mecanismo tem início, quando a hipófise (pituitária) secreta uma grande quantidade de hormônio denominado hormônio folículo estimulante (FSH) que estimula o crescimento dos folículos. Em cada ciclo apenas um folículo termina o seu desenvolvimento, crescendo mais do que os outros. O folículo crescido se rompe e lança o óvulo (ovócito primário) na trompa de Falópio, fenômeno conhecido como ovulação. A hipófise libera um outro hormônio, o LH (hormônio luteinizante), que transforma o folículo rompido em uma glândula denominada corpo amarelo ou corpo lúteo. O corpo lúteo, a medida que cresce produz um hormônio, o estrôgeno que provoca alterações na puberdade e estimula o do endométrio após a ovulação. O corpo lúteo passa a produzir também a progesterona, que estimula o desenvolvimento dos vasos sangüíneos e das glândulas do endométrio, preparando útero para a implantação do zigoto, quando houver a fecundação.

Caso não haja a fecundação, aproximadamente 14 dias após a ovulação, o corpo lúteo degenera-se e deixa de produzir os hormônios. Sem esses hormônios o endométrio não consegue manter-se e também degenera-se.

A descamação do endométrio dura de três a cinco dias. É chamada de menstruação.


Página inicial
Volte ao Menu